Avaí vence “final” no Brinco de Ouro, se consolida no G-4 da Série B e instaura crise dentro do Guarani

Falhas à parte, em especial dos donos da casa, Guarani e Avaí travaram neste sábado, em Campinas, um duelo compatível com as posições que ambos ocupam na tabela de classificação da Série B. O Leão fez valer não só a atuação mais consistente, mas também a melhor campanha, ao vencer por 2 a 1, gols de Getúlio e Renato – Philipe Maia fez o tento alviverde. O resultado consolida o time catarinense dentro do G-4 e, se não elimina, diminui ainda mais as chances de acesso do Bugre.

Não seria nenhum exagero dizer que o Avaí só venceu graças à tarde inspirada de Rodrigão. O atacante, aquele mesmo que já foi o artilheiro do Brasil pelo Campinense e passou sem tanto sucesso no Santos, jogou uma barbaridade em Campinas. Infernizou a defesa do Guarani com lançamentos, como o que originou o gol de Getúlio, trabalho de pivô e passes, iguais ao que deixou Renato livre para decidir a vitória. Atuação acima da média do aniversariante do dia e que decidiu o confronto.

Se Rodrigão deixa o Brinco de Ouro com peito estufado, alguns nomes do elenco bugrino saem com pouca moral diante da torcida. Kevin, por exemplo, errou o passe que criou a jogada do segundo gol avaiano e foi bastante vaiado até ser substituído no segundo tempo. Philipe Maia (apesar do gol) e Pará também acumularam erros que irritaram os pouco mais de cinco mil torcedores que foram ao estádio.

Embalado pela segunda vitória seguida e a terceira nos últimos quatro jogos, o Avaí saltou do quarto para o terceiro lugar, com 51 pontos, na cola de Fortaleza (57) e Goiás (53). O time catarinense mantém os três pontos de vantagem para o primeiro time fora do G-4 e abre seis para o próprio Guarani. Derrotado pela segunda vez seguida, o Bugre foi ultrapassado pelo Vila Nova e caiu para sexto. A diferença para o CSA, que fecha o grupo de acesso, é de cinco pontos.

Ambos voltam a campo no sábado para a 32ª rodada da Série B, com mandos invertidos. Na Ressacada, o Avaí mede forças com o Oeste, às 16h30, em mais uma chance de se aproximar do acesso à primeira divisão. Já o Guarani, no mesmo horário, jogará contra o Boa Esporte em Varginha. O confronto com o lanterna é decisivo para as pretensões do Alviverde na reta final da temporada.

O primeiro tempo em Campinas foi equilibrado a ponto de os gols de um time saírem quando o domínio era do outro. Começou com o Avaí, que, ao aproveitar sucessão de falhas defensivas do adversário, abriu a contagem com Getúlio, após assistência de Renato dentro da área, e esfriou a pressão inicial do Bugre. Em vantagem, os catarinenses se soltaram e criaram duas oportunidades para ampliar a vitória. Quando a partida parecia sob controle, Philipe Maia escorou cobrança de escanteio de Matheus Oliveira e deixou tudo igual.

Avaí lá, Guarani cá. O segundo tempo começou com chances para os dois lados e repetiu o fenômeno do primeiro tempo. Momentos depois de Bruno Mendes acertar o travessão, o Leão aproveitou erro de passe de Kevin e viu Rodrigão deixar Renato livre para marcar o segundo gol da tarde. Os bugrinos claramente sentiram o golpe e passaram a errar com cada vez mais frequência, permitindo espaços e se jogando ao ataque sem qualquer organização. O Avaí quase ampliou no contra-ataque de Getúlio e no pênalti perdido por Renato. Na reta final do duelo, o Bugre só levou perigo com Longuine, em chute de longe, até ser anulado pelo próprio nervosismo.

Globo Esporte