Com time alternativo, Tubarão sai na frente, mas Avaí conta com sorte para buscar empate

Nesta segunda-feira com jogo isolado pela sétima rodada, a tarde foi de pouco Carnaval para a torcida do Avaí. Diante de um Tubarão com time alternativo, Leão da Ilha foi dominado no primeiro tempo, sofreu gol de Batista em posição duvidosa e poderia ter sofrido mais não fosse a atuação de Kozlinski. Com duas mudanças no vestiário, o time da capital voltou melhor e pressionando até empatar em um lance de sorte com Bryan Urueña e lambança da defesa do Peixe. No fim da partida, o time visitante voltou a ficar mais perto de vencer.

Com o empate, o Avaí fica com 11 pontos em sete jogos, ainda na quarta colocação após a vitória do JEC no sábado, seis pontos atrás do Figueira e cinco da Chape. Já o Tubarão segue na zona de rebaixamento, mas volta a ocupar a nona colocação, deixando a lanterna para o Criciúma por conta do critério de desempate.

Na oitava rodada, ambos voltam a jogar apenas na quinta-feira. Peixe recebe o Inter de Lages no Domingos Gonzales enquanto o Leão da Ilha vai até o Vale enfrentar o Bruscão. Ambos jogos marcados para as 20h30.

O treinador do Avaí voltou a ter o nome gritado de forma negativa novamente após uma partida. Após ver uma atuação ruim no primeiro tempo e novamente desarrumado na segunda parte da etapa complementar, o torcedor não perdoou o treinador e cantou “fora, Claudinei”.

Waguinho Dias, mesmo na zona de rebaixamento, decidiu colocar um time alternativo para atuar com o Avaí na Ressacada. E surpreendeu… Daniel Costa, Nikolas Farias, Meatheus Barbosa e Batista infernizaram a defesa do Leão. Como Marquinhos, capitão do Avaí, mesmo citou na saída para o intervalo: “Eles atropelaram. 1 a 0 foi pouco”.

Na segunda etapa o time sentiu a pressão inicial de um Avaí com modificações e mais fome. Mas aos poucos o time conseguiu se reorganizar e ter ótimas chances para vencer, mesmo após sofrer um empate em um lance de pouca sorte dos zagueiros.

Waguinho Dias, mesmo na zona de rebaixamento, decidiu colocar um time alternativo para atuar com o Avaí na Ressacada. E surpreendeu… Daniel Costa, Nikolas Farias, Meatheus Barbosa e Batista infernizaram a defesa do Leão. Como Marquinhos, capitão do Avaí, mesmo citou na saída para o intervalo: “Eles atropelaram. 1 a 0 foi pouco”.

Na segunda etapa o time sentiu a pressão inicial de um Avaí com modificações e mais fome. Mas aos poucos o time conseguiu se reorganizar e ter ótimas chances para vencer, mesmo após sofrer um empate em um lance de pouca sorte dos zagueiros.

O Tubarão fez um belo gol no primeiro tempo. Em uma jogada que começou com um erro de Romulo, o Peixe se aproximou da área do Leão sem dificuldades. Alex Nemetz recebeu na intermediária, sem marcação, tocou para Daniel Costa, que, de letra, deixou Batista na cara do gol para abrir o placar. A posição do atacante era muito duvidosa.

Globo Esporte