Em tarde de Nico López, Inter carimba volta a Série A com vitória sobre o Bahia no Beira-Rio

Valeu a pena para o torcedor colorado. Depois de um ano e meio, quem foi ao Beira-Rio ver a estreia do time na Série A do Brasileirão assistiu a um bom jogo do uruguaio Nico López, auxiliado por D’Alessandro, e a um triunfo sem sustos sobre o Bahia por 2 a 0. Nico entrou no lugar de Rossi, que sentiu uma lesão na coxa aos 10 minutos de jogo, e cumpriu as expectativas que são depositadas nele desde sua chegada ao clube. Abriu o placar aos 37 minutos, de cabeça, e fechou a conta após ótimo toque de Edenílson, no começo da etapa final.

Foi um primeiro tempo bastante morno no Beira-Rio, apesar do gol de Nico López. O Colorado começou em ritmo lento, e o Bahia ainda mais, claramente satisfeito em segurar o empate sem gols. Aos poucos, o time da casa foi tomando as rédeas do jogo, ficou com a posse de bola – terminou com índice de 60% – e criou. Nico López, que entrou aos 11 minutos no lugar do lesionado Rossi, foi quem teve a primeira chance, em um chute para fora após a sobra da zaga. Moledo também teve boa ocasião, em cabeçada para cima, até que, aos 37, saiu o gol: D’Alessandro começou a jogada, tocou para Patrick, e o meia cruzou na cabeça de Nico, 1 a 0. Ainda houve outra boa ocasião com D’Ale, numa sobra de saída do goleiro Douglas contra William Pottker.

O Bahia colocou o garoto Júnior Brumado, de mais de 1,90m, para tentar incomodar mais a defesa colorada, mas a verdade é que quem chegou mais foi o Inter. Aos nove, D’Alessandro recebeu de Fabiano e chutou perto da trave direita. Pouco depois, foi a vez de Nico López chutar da entrada da área e quase marcar. Mas a tarde era do uruguaio, e aos 15 ele tabelou com Edenílson, saiu na cara do gol e ampliou o placar. Depois, houve pouco jogo, com o Inter satisfeito com a vantagem e o Bahia sem forças para reagir.

D’Alessandro foi o comandante do meio de campo do Inter. O aniversariante do domingo, que completa 37 anos, foi homenageado antes do jogo, e retribuiu com grandes passes e ótima visão de jogo. Ele começou o lance que terminou com o gol de Nico López, e teve outras boas chances, especialmente aos nove da etapa final, quando chutou torto na cara do gol. Para completar, saiu aplaudido de pé pelo torcedor nos minutos finais.

Nico López entrou aos 11 minutos do primeiro tempo e, enfim, teve uma atuação no nível de que se esperava dele, desde sua chegada ao Beira-Rio, em 2016. Artilheiro do time na temporada passada, o uruguaio se movimentou, apareceu bem na frente e marcou duas vezes, o que lhe deu a condição de cara do jogo. A expectativa é se, agora, o camisa 7 vai manter uma regularidade como titular.

O Bahia veio ao Beira-Rio com a condição de campeão baiano, depois de triunfar duas vezes na decisão com o rival Vitória. Porém, pouco fez: o ataque baiano não conseguiu criar nada, o meio campo foi superado pelo Colorado e o Bahia acabou a partida sem chegar, com real perigo, nenhuma vez.

O Inter volta a campo no próximo domingo, com uma pedreira pela frente: visitará o Palmeiras, em São Paulo, às 16h. Um dia antes, no sábado, o Bahia joga em casa diante do Santos, às 16h.

Globo Esporte