EMOÇÃO E HOMENAGENS NO ÚLTIMO DIA DO ATLETISMO

EMOÇÃO E HOMENAGENS NO ÚLTIMO DIA DO ATLETISMO

Maior medalhista do atletismo na história dos Jasc, José Maria Nunes recebeu homenagem e, chorando, disse ter vivido a maior emoção da vida

Maior medalhista do atletismo na história dos Jasc, José Maria Nunes recebeu homenagem e, chorando, disse ter vivido a maior emoção da vida

 

Blumenau – Duas homenagens marcaram o último dia do atletismo dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), nesta quarta-feira (27). A primeira foi proferida pela Confederação Catarinense de Atletismo e foi para a velocista Tamiris de Liz, de Joinville, que passará a treinar em 2014 na Universidade de Miami (EUA), onde irá se preparar para as Olimpíadas do Rio 2016, em um projeto gerenciado pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB). Aos 18 anos, Tamiris tem no currículo títulos sul-americanos e participação em mundiais e Olimpíadas.

A segunda homenagem foi para o ex-atleta José Maria Nunes, o Zé Maria, o maior medalhista dos Jasc no atletismo: soma 29 medalhas de ouro distribuídas em provas como os 5.000, 10.000 e 1.500 mil metros. Natural de Campos Novos, atuou como atleta e técnico por Porto União, Blumenau e Florianópolis. Chamado a fazer a premiação dos 10 mil metros, Zé Maria, pego de surpresa, ainda subiu ao pódio mais uma vez para a homenagem. O ex-atleta, hoje com 64 anos e morando em Jaraguá do Sul, chorou ao receber a medalha de ouro junto a dirigentes e atletas atuais. “Não esperava essa homenagem, foi o momento mais emocionante da minha vida”.

A história das provas de resistência do atletismo em Santa Catarina pode ser dividida em duas etapas. Na primeira, até o início da década de 1990, brilhou um homem franzino, filho de uma família humilde do município de Campos Novos, no Meio-Oeste de Santa Catarina. José Maria Nunes, o Zé Maria, conquistou por 11 anos seguidos a medalha de ouro na prova dos 10.000 metros, prova em que também chegou ao título do Troféu Brasil de Atletismo, com direito a recorde. Venceu ainda por nove vezes consecutivas os 5.000 metros nos Jasc. Aposentou as sapatilhas de corredor fundista em 1982, mas ainda seguiu colecionando conquistas nos Jogos Abertos, como treinador das equipes de Blumenau e Florianópolis. Revelou para as pistas nomes como Silvana Pereira, Evaldo Rosa, Márcia Narloch e Alexandre Vaz.

Informações adicionais

 

Antonio Prado

 

(47) 3326-9636

 

 

Foto:  Antonio Prado

Escrito por  

Deixe seu comentário