Falcão elogia ‘indignação dos jogadores’ e pede ‘naturalidade’ para Internacional reagir

inter

A derrota para o Corinthians neste domingo fez o Internacional chegar a nove partidas sem vitória no Campeonato Brasileiro. A má fase tirou o time da briga pelo título, o levou à segunda metade da tabela de classificação e despertou a revolta dos torcedores, que protestaram no Beira-Rio após o jogo. De acordo com o técnico Paulo Roberto Falcão, pelo menos a maneira como os atletas têm encarado essa situação pode ser encarada como um sinal positivo.

“Sinto no vestiário a indignação dos jogadores”, declarou o comandante do Internacional, que depois citou um exemplo do seu ponto de vista. “O Paulão está fora do próximo jogo, mas quer viajar. Isso começa a demonstrar a força de grupo. Espero que isso apareça mesmo neste momento. Tenho alguma experiência no futebol, sei como são complicadas essas coisas, mas os grandes desafios são para grandes pessoas”, completou o treinador.

Falcão também se mostrou compreensível com os protestos dos torcedores após o jogo, mas fez ressalvas. “Não gosto da agressividade. Acho que a gente tem de ter manifestação normal. Quebrar carros e coisas do tipo não são legais. Entendo que é um momento difícil, mas a dificuldade é para pessoas maiores”, observou, antes de ressaltar confiança na evolução da equipe: “Estou convicto de que teremos uma melhora e ainda faremos um bom campeonato com o passar do tempo.”

O próximo compromisso do Internacional no Brasileiro será na quinta-feira, fora de casa, contra o Cruzeiro. “Será um oponente difícil, que também busca recuperação e que tem a volta do Mano Menezes agora. Mas temos de buscar a vitória, e isso precisa ser com naturalidade. Temos de passar um pouco de calma aos jogadores agora”, analisou o comandante do clube gaúcho.

“Em momentos assim, é natural que a bola queime um pouco nos pés dos jogadores, mas precisamos ter condição de administrar isso. As coisas aqui não são fáceis, mas também não teriam graça se fossem assim. Jogar bem ou mal vai da partida, mas precisamos criar a condição para os atletas jogarem mais tranquilos para daí criar mais coisas e que nos permita vencer já na quinta”, finalizou.

ESPN/Gazeta Press