Fluminense atropela Universidad Católica-EQU e fica muito perto da classificação

fluminense

Somente um desastre impedirá o Fluminense de chegar às oitavas de final da Copa Sul-Americana. Nesta quinta-feira, no Maracanã, pelo duelo de ida da segunda fase do torneio, o time carioca não tomou conhecimento da Universidad Católica, do Equador, e goleou o adversário pelo placar de 4 a 0. Henrique Dourado (2), Richarlison e Wendel asseguraram o placar elástico para a equipe de Abel Braga.

O confronto de volta entre as equipes está marcado para o dia 26 de julho, no estádio Olímpico Atahualpa, em Quito, no Equador. O vencedor do duelo enfrentará nas oitavas de final o ganhador do confronto entre Bolívar-BOL e LDU-EQU. O Fluminense pode até perder por três gols de diferença que mesmo assim estará classificado para a próxima fase.

O resultado fez completa justiça ao time carioca, que manteve o controle da partida durante os 90 minutos, dando pouquíssimas chances ao adversário de ameaçar o gol defendido por Júlio César. A Universidad Católica, que faz má campanha no campeonato do seu país, mostrou ser uma equipe de recursos limitados, que não conseguiu, em nenhum momento, fazer frente ao Fluminense.

O Fluminense agora já volta as suas atenções para o Campeonato Brasileiro. Na segunda-feira, no fechamento da 11ª rodada, o time de Abel Braga encara a Chapecoense, às 20 horas, no Giulite Coutinho.

O jogo 

Diante de um público pequeno, mas entusiasmado, o Fluminense tentou partir para o ataque logo no início, mas encontrou um adversário bem postado na defesa. O primeiro lance de perigo só aconteceu aos seis minutos quando Marquinhos Calazans entrou entre os zagueiros, mas foi tocado pelo zagueiro Obando e caiu pedindo falta, mas o árbitro nada marcou.

O time equatoriano encontrava muita dificuldade para sair da defesa e a bola quase nunca chegava na área tricolor. Aos oito minutos, Léo cobrou lateral na área, Reginaldo desviou de cabeça e Henrique Dourado chutou cruzado, levando perigo ao gol defendido por Galindez. A resposta dos visitantes foi imediata e Cifuentes bateu rasteiro no canto, mas Júlio César fez a defesa.

O time dirigido por Abel Brga tinha o controle do jogo, com os meias Wendel e Gustavo Scarpa se movimentando muito e confundindo a marcação da equipe equatoriana.

Aos 20 minutos, o Fluminense criou outra chance de perigo. Léo cruzou da esquerda, o goleiro nada pegou, mas Richarlison não conseguiu cabecear e reclamou de empurrão do zagueiro. Logo depois, Gustavo Scarpa recebeu de Wendel e bateu colocado, mas a bola tirou tinta do poste direito. Dois minutos depois, o ataque tricolor criou outra chance e após rebote do goleiro, Lucas bateu cruzado e Dourado completou, mas a bola bateu no peito de López e facilitou a tarefa da zaga equatoriana.

Aos 26 minutos, o Fluminense marcou o primeiro gol. Após cruzamento de Léo, a defesa rebateu mal e a sobra ficou nos pés de Henrique Dourado que tocou, com categoria, no canto direito de Galindez.

Dois minutos depois, Henrique Dourado recebeu na esquerda e cruzou, o goleiro Galindez soltou a bola nos pés de Richarlison, que não teve a menor dificuldade para colocar a bola na rede.

Só depois de sofrer o segundo gol é que o time visitante decidiu se arriscar mais um pouco no ataque e, aos 31 minutos, Cifuentes bateu forte e assustou o goleiro Júlio César. A resposta da equipe carioca veio com um chute forte de Richarlison que explodiu no peito do goleiro Galíndez.

O jogo ficou mais aberto, com as duas equipes procurando o caminho do gol. E o Fluminense é que marcou o terceiro gol, aos 44 minutos. Após boa jogada de Léo, pela esquerda, Calazans cruzou e a bola bateu no braço de Godoy. O árbitro marcou pênalti e Henrique Dourado bateu com a habitual categoria para ampliar a vantagem tricolor.

O segundo tempo começou com o mesmo panorama da primeira etapa; E logo aos dois minutos, o Fluminense criou uma boa chance para marcar. Depois de boa troca de passes, Scarpa tocou para Henrique Dourado, que bateu para boa defesa de Mosquera, que entrou no lugar de Galíndez. No lance, o Ceifador sentiu uma fisgada na virilha esquerda e pediu para sair. Pedro entrou em seu lugar.

Aos nove minutos, o Fluminense marcou o quarto gol. O meia Wendel recebeu na intermediária e arriscou o chute. A bola entrou no ângulo esquerdo, sem qualquer chance de defesa para Mosquera.

Sem outra alternativa, a Universidad partiu para o ataque e Cifuentes voltou a assustar Júlio César, aos 17 minutos, com outro chute perigoso. O Fluminense passou a administrar o resultado e, aos 31 minutos, quase marcou o quinto gol. Gustavo Scarpa fez grande jogada pela direita e recuou para o chute de Pedro. A bola desviou na zaga e saiu para escanteio. Na cobrança, Henrique subiu mais do que a zaga, mas cabeceou para fora.

Aos 39 minutos, o Fluminense desperdiçou outra oportunidade para marcar, quando Wellington Silva cabeceou com grande perigo.

Só aos 42 minutos é que o time do Equador criou uma grande chance , quando Henrique cometeu falta na entrada da grande área. Defederico bateu e mandou por cima do travessão. Nos acréscimos, Defederico fez ótimo passe para Cifuentes, que entrou livre e tocou por cima do travessão.

Espn/Gazeta Press