Golaço de Daniel dá vitória ao Botafogo sobre o Santos no Maracanã

960_3536d6a0-9c65-3823-9f9a-0a3ea1b6b2fe

Um golaço do menino Daniel definiu a vitória do Botafogo sobre o Santos, por 1 a 0, na tarde deste domingo, no Maracanã. Em um bom jogo, o duelo de alvinegros, com direito a campanha por combate ao racismo, o Botafogo chegou aos 22 pontos e é o 11º colocado na tabela. Já o Santos, com a derrota, permaneceu em décimo, com 23 pontos.

A partida do Maracanã foi marcada também pelas manifestações contra o racismo, depois do episódio com o goleiro Aranha, do Santos, na Arena do Grêmio, na quarta-feira. Os times entraram em campo com uma faixa onde estava escrito: “Somos preto, somos branco. #somosumsó”. Aranha tinha, nas costas, a inscrição “Orgulho de ser alvinegro”.

Dentro de campo, o Botafogo não teve Dória, prestes a ser negociado com o Lyon, da França, e que deve viajar para a Europa nas próximas horas, Ferreyra, suspenso, e Carlos Alberto, lesionado. Vagner Mancini optou por colocar Bruno Correa no ataque. André Bahia continuou na zaga.

Já no Santos, a motivação se devia à convocação de Robinho para a seleção brasileira, horas antes do jogo, na vaga de Hulk, cortado por lesão. Leandro Damião ficou no banco de reservas e Rildo ocupou vaga no ataque. Gabriel, o Gabigol, estava suspenso.

Na próxima rodada, o Botafogo vai até o Independência, domingo, enfrentar o Atlético-MG. Já o Santos recebe o Vitória, sábado, no Pacaembu.

O jogo

Ainda que no Maracanã, o Santos começou melhor. Tabelas, triangulações entre o trio Robinho, Thigo Ribeiro e Rildo na frente. Marcava mais presença na área adversária. Tanto que com apenas cinco minutos teve chance claríssima com Robinho.

O craque santista recebeu a bola na área em posição legal enquanto a zaga botafoguense reclamava de impedimento. Robinho, frente a frente com Jefferson, ajeitou a bola, olhou para o gol e bateu em cima do goleiro, perdendo ótima chance.

O Santos chegava mesmo com mais presença e dois minutos depois o Botafogo teve de contar novamente com Jefferson, em bom chute de longe de Arouca que foi salvo pelo goleiro. As duas chegadas fortes do Santos chamaram o Botafogo para o jogo.

Aos 15 minutos, Emerson Sheik fez boa jogada pela esquerda e tocou para trás, para Daniel, que ajeitou para Ramírez, que vinha no embalo. O chute, da entrada da área, saiu fraco e parou nas mãos do goleiro Aranha. O jogo era bem disputado, com boas jogadas tramadas. O Botafogo busca a esquerda do seu ataque e o Santos acionava mais a direita, com Thiago Ribeiro.

Aos 27 minutos, Vagner Mancini perdeu Bruno Correa por lesão muscular e colocou Rogério como homem de frente. Mas era Sheik, mesmo, que levava mais perigo ao Santos. Sempre pela esquerda. Aos 31 minutos, ele entrou na área, gingou na frente de Cicinho e bateu forte, mas Aranha, atento, fez bela defesa. O jogo que era mais do Santos se tornava mais do Botafogo, encorpado no meio de campo. Mas o bom primeiro tempo chegara ao fim.

No segundo tempo, o Botafogo voltou sem mudanças, mas bem mais elétrico, a fim de agredir o Santos dentro do Maracanã. Maracação forte e tentativa de saída rápida para o ataque. Mas as duas equipes reclamaram com a arbitragem.

Primeiro, Rogério caiu na área em disputa de bola. Depois, Robinho também desabou em lance com André Bahia, na área do Botafogo. Em ambos os lances, o árbitro mandou o jogo seguir. O Botafogo esticava bolas para Sheik, agora já do lado direito, em busca de um desafogo para fazer o gol. A insistência do time da casa, então, funcionou.

Aos 17 minutos, o Botafogo teve uma sequência de escanteios. No terceiro deles, funcionou. Bola cruzada, a zaga rebateu e, no rebote, Daniel emendou de trivela, na entrada da área, no canto direito de Aranha, que nem reagiu. Golaço. Botafogo 1 a 0.

De imediato, Oswaldo de Oliveira sacou Thiago Ribeiro e colocou Leandro Damião em campo para ter uma referência na área. Robinho, antes mais centralizados, passou a ocupar as pontas. Maso Botafogo continuava melhor, com o jogo mais controlado, principalmente pela vantagem no domínio do meio de campo.

Mas, aos poucos, o desgaste começou a ser sentido pelas equipes e o ritmo da partida diminuiu. Aos 34 minutos, o Santos teve grande chance de empate, quando Cicinho cruzou da direita, Leandro Damião emendou de primeira da risca da pequena área e a bola explodiu em Jefferson. O Botafogo tinha, então, espaços para os contra-ataques. Mas faltava pernas.

Aos 38 minutos, Emerson Sheik tabelou com Wallyson, levou com a cabeça até a grande área, mas, claramente esgotado, bateu mal, fraco, de perna esquerda, e perdeu ótima chance. A pressão do Botafogo, então, continuou. Emerson, de novo, teve boa chance, mas bateu por cima do gol. Edu Dracena quase fez contra ao tentar cortae a bola. Era dia, mesmo, do Botafogo engatar a segunda vitória consecutiva.

FICHA TÉCNICA
BOTAFOGO X SANTOS

Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ)
Data: 31 de agosto de 2014 (Domingo)
Horário: 16 horas (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo Alonso Ferreira (SC)
Assistentes: Kleber Lúcio Gil (Fifa-SC) e Nadine Schramm Camara Bastos (Fifa-SC)
Público: 14.285 presentes
Cartões amarelos: Emerson e Edilson (BOT) e Edu Dracena e Cicinho (SAN)
Gol: Daniel (BOT), aos 17 minutos do segundo tempo.

BOTAFOGO: Jefferson; Edilson, Bolívar, André Bahia e Junior Cesar; Gabriel, Bolatti, Daniel (Wallyson) e Ramírez (Rodrigo Souto); Emerson e Bruno Correa (Rogério)
Técnico: Vagner Mancini

SANTOS: Aranha; Cicinho, David Braz, Edu Dracena e Mena (Zeca); Alison (Souza), Arouca e Lucas Lima; Thiago Ribeiro (Leandro Damião), Robinho e Rildo.
Técnico: Oswaldo de Oliveira

ESPN

Deixe seu comentário