Grêmio vence Gre-Nal no Beira-Rio, e quartas do Gauchão te

Grêmio vence Gre-Nal no Beira-Rio, e quartas do Gauchão terão mais dois clássicos

Trezentos e setenta e três dias depois, o Gre-Nal voltou ao cotidiano dos gaúchos com tudo aquilo que se espera dele. E até fatos inéditos. Teve confusão – no cara e coroa –, substituição de árbitro, emoção e muito futebol. Com cada time melhor em um tempo, saiu vitorioso aquele que aproveitou mais as chances. Assim, Luan marcou duas vezes e deu a vitória ao Grêmio por 2 a 1 na tarde deste domingo em pleno Beira-Rio, em duelo adiado da sexta rodada do Gauchão. Rodrigo Dourado fez para o Inter.

Ameaçado de ficar fora das quartas de final, o Grêmio confirmou o avanço na competição com a vitória. Terminou em sexto lugar, com 16 pontos. De quebra, o Tricolor tirou o maior rival da liderança. O Inter ficou nos 18 e caiu para terceiro. Ou seja, pela formatação dos confrontos, as duas equipes voltarão a medir forças na próxima fase, com a primeira partida na Arena e a segunda no Beira-Rio. Mais uma vez não haverá Gre-Nal na final do Gauchão.

Os tricolores mandaram em campo e fizeram o que bem entenderam. Luan mostrou a razão de ser o melhor jogador da América. O camisa 7 passou pela marcação quando quis e distribuiu passes – em dois deles, Jael e Everton erraram na cara do gol. A marcação do Inter, aliás, deixou o Tricolor chegar aos gols. Aos 24 minutos, Jaílson encontrou Cortez livre. O lateral-esquerdo cruzou para Luan, que estufou as redes Marcelo Lomba. Dois minutos depois, em mais um erro do sistema defensivo, Víctor Cuesta atropelou Everton dentro da área. Pênalti. Luan bateu e ampliou. Perdido em campo, o Colorado apelou para faltas e tentou intimidar os gremistas, mas sem sucesso.

Odair Hellmann decidiu mudar no intervalo. Sacou Dudu, envolvido pelo lado direito de defesa, e colocou Gabriel Dias. Edenílson foi para a lateral. Logo aos dois minutos, D’Alessandro cobrou escanteio e Rodrigo Dourado testou para diminuir. O Inter incendiou o jogo e inverteu toda a lógica do primeiro tempo. Mas o empate não veio. Roger, Nico López e D’Alessandro tiveram boas oportunidades. E o Grêmio só se defendeu. No fim, sobrou tempo para um princípio de confusão entre Gabriel Dias e Geromel.

O Grêmio soube aproveitar o lado esquerdo de ataque para superar o Inter no Beira-Rio. E ainda contou com o brilho do Rei da América para construir os gols. Com o domínio da partida, abriu o placar aos 24 minutos, quando Jailson lançou Bruno Cortez, e o lateral cruzou rasteiro para Luan sair às costas de Iago e encostar para o gol. O caminho era tão evidente que, três minutos depois, foi a vez de Maicon encontrar Everton novamente pela esquerda. O atacante passou por cima de Klaus e só parou com um carrinho de concurso de Cuesta. Pênalti. Luan deslocou Lomba e fez o segundo dele.

Com o setor defensivo envolvido pelo lado direito em todo primeiro tempo, Odair Hellmann se viu obrigado a mudar. Tirou Dudu, de má atuação, e colocou Gabriel Dias. O volante Edenílson desceu para atuar na lateral. Foi como mudar da água para o vinho. O Inter diminuiu logo aos dois minutos, com Rodrigo Dourado, completando cobrança de escanteio de D’Alessandro.

Se o Gre-Nal ainda estava no banho-maria, os capitães trataram logo de colocar o ingrediente que faltava para apimentar o jogo. No sorteio do cara e coroa, D’Alessandro e Maicon se estranharam e trocaram algumas “gentilezas”. Precisaram da intervenção da arbitragem para acalmar os ânimos. Algo inédito na história do clássico.

Aos 20 minutos do segundo tempo, mais um lance inusitado no Gre-Nal 413. O árbitro Jean Pierre Lima sentiu uma fisgada na panturrilha e precisou ser substituído na partida. O quarto árbitro, Jonathan Pinheiro, saiu da beira do campo para assumir o apito do colega.

Já aos 49 minutos do segundo tempo, irritado com as decisões da arbitragem, o técnico colorado teve de deixar o campo. Ele chegou a ficar cara a cara com o árbitro Jonathan Pinheiro durante a discussão. E ainda soltou cobras e lagartos para outro membro da federação gaúcha à beira do gramado. Na entrevista coletiva, porém, o vice de futebol Roberto Melo explicou que o técnico não foi expulso. A exclusão foi do preparador físico Cristiano Nunes, por invadir as quatro linhas durante uma confusão entre os jogadores. Conforme regulamento, se um membro da comissão técnica é expulso, o treinador também precisa se retirar.

Pela primeira vez na história do Gauchão, a tecnologia esteve a serviço do campeonato. Conforme adiantado pela Federação Gaúcha de Futebol, o árbitro de vídeo foi utilizado no Gre-Nal deste domingo. Na verdade, não devidamente utilizado. Tanto Jean Pierre quanto Jonathan Pinheiro, o árbitro principal e seu substituto, não chamaram o auxílio das imagens para embasar suas decisões.

Globo Esporte