Internacional se recupera na Libertadores e vence a ‘La U’ em casa

dale-colorado-inter-480-foto-arena

O torcedor do Colorado voltou a sorrir. Nesta quinta-feira (26), o Internacional venceu a Universidad de Chile, por 3 a 1, no Beira-Rio, e se recuperou da derrota sofrida por 3 a 1 diante do The Strongest (BOL) na estreia da Copa Bridgestone Libertadores. Com o resultado, a equipe do técnico Diego Aguirre conquista os primeiros três pontos na competição e ocupa a segunda colocação do Grupo 4. Os chilenos estão na lanterna da chave ainda sem nenhum ponto. Os gols da vitória colorada foram marcados por D’Alessandro, Jorge Henrique e Eduardo Sasha. Canales descontou para a ‘La U’. O FOXSports.com.br conta, em detalhes, como foi a vitória do Internacional no Rio Grande do Sul.

O Internacional vencia por 2 a 0 e a torcida fazia a festa nas arquibancadas do Beira-Rio. Porém, de uma hora para outra, o clima mudou e a equipe de Diego Aguirre viu a vantagem construída ao longo da partida escapar entre os dedos. Aos 21 minutos da segunda etapa, o meio-campista Lorenzetti acionou Ubilla nas costas do lateral Fabrício. O chileno conseguiu o domínio e serviu Canales, que diminuiu o marcador e instaurou um estado de choque no Beira-Rio. Os torcedores se calaram e a equipe chilena abalou o estado emocional dos brasileiros. O Inter venceu por 3 a 1, mas o resultado poderia ter sido bem diferente caso a ‘La U’ aprontasse após o primeiro tento.

Criticado por imensa maioria da torcida

do Internacional após a derrota para o The Strongest, na Bolívia, o técnico Diego Aguirre mudou a equipe e levou a campo o que tinha de melhor. Sem Nilmar, expulso na primeira partida, o uruguaio apostou na dupla Vitinho/Eduardo Sasha  no setor de frente, com Jorge Henrique e D’Alessandro como meias de armação. A presença de Nílton e Aránguiz deu mais sustentação ao meio-campo e ajustou a marcação em cima dos chilenos.

A equipe se mostrou menos ‘engessada’ em campo e conseguiu criar inúmeras chances de gol, utilizando a velocidade de Vitinho e o bom posicionamento de Sasha entre a defesa rival. No segundo tempo, Aguirre apostou na entrada da Alex, deixou a equipe com três meias de ligação e isolou Sasha na frente. A tática funcionou e, na base do contra-ataque, o Colorado matou a partida e conquistou os três pontos diante da ‘La U’.

O lateral-esquerdo Fabrício do Internacional cansou de dar espaços em suas costas, que foi explorada em demasia pelo time chileno. Propositalmente, o técnico Martín Lasarte escalou o atacante Ubilla posicionado do lado direito, para utilizar o espaço deixado pela lateral brasileiro.

Durante todo o duelo, Lorenzetti dominava a bola e lançava o seu companheiro pelo lado direito. A jogada se repetiu por toda a partida, até que, aos 21 minutos do segundo tempo, em nova falha defensiva de Fabrício, Ubilla encontrou Canales, que chutou sem chances para Alisson. Todo o sistema defensivo do Internacional deixou

a desejar, porém, o lado-esquerdo de marcação foi o que mostrou mais problemas. Algo que Diego Aguirre precisa corrigir urgentemente se não quiser ter dor de cabeça nesta sequência de Libertadores.

O camisa 10 precisa aparecer nos momentos difíceis. E foi justamente neste momento que Andrés D’Alessandro colocou seu talento à prova. Mesmo atuando em casa, o Internacional apresentava dificuldades em encurralar a equipe chilena, que jogava de igual para igual e assustava a meta de Alisson.

Porém, posicionado pelo lado direito, D’Alê chamou a responsabilidade e começou a usar sua talentosa canhota para dar vida ao Colorado no duelo. Com jogadas individuais e movimentação intensa, o argentino conseguiu prender a redonda e criar as principais oportunidades da equipe brasileira no duelo.

No momento em que os chilenos chegavam com perigo e eram melhores no confronto, D’Alessandro arriscou uma jogada individual e cavou um pênalti malandro a favor do Colorado. A arbitragem entrou na onda do meio-campista e assinalou a chance de gol ao time brasileiro. Na cobrança, D’Alê marcou e trouxe a paz que a equipe colorada ainda não havia encontrado na partida.

O uruguaio Victor Carillo foi um dos personagens negativos do duelo. Mal posicionado durante grande parte do confronto, o árbitro se mostrou distante da bola e de lances importantes e influenciou de forma direta no desenho do duelo. Aos 27 minutos da primeira etapa, Vitinho recebeu lançamento em profundidade de Jorge Henrique, entrou na grande área e foi derrubado pela marcação. Longe, o uruguaio mandou o duelo seguir e levou o Beira-Rio à loucura.

Pouco menos de 20 minutos depois do ocorrido, D’Alessandro forçou investida individual na grande área e desabou após contato da defesa. Victor Carillo assinalou a penalidade sem muita convicção e irritou os atletas chilenos, uma vez que a ‘La U’ era melhor no confronto no momento do pênalti a favor dos brasileiros. O uruguaio mostrou sete cartões amarelos ao longo dos 90 minutos.

O Internacional receberá o Emelec, líder do Grupo 4, no Beira-Rio, em confronto válido pela terceira rodada da fase de grupos da Copa Bridgestone Libertadores. A partida será realizada na próxima quarta-feira (4), a partir das 22h. Desesperada, a Universidad de Chile recebe o The Strongest em duelo de vida ou morte, em Santiago, na quinta-feira (5), às 21h30.

 

Fox Sports

Deixe seu comentário