Milton cita azar com grama molhada e fala de recado ao grupo: “Ganhar de qualquer jeito”

O técnico Milton Cruz lamentou outra partida do Figueirense com o gramado molhado por conta das chuvas. Nesta terça-feira, o Furacão bateu o Sampaio Corrêa-MA, por 1 a 0, novamente com poças no Orlando Scarpelli, assim como tinha sido no empate em 1 a 1 com o Londrina. Ao longo da terça, caiu muita chuva em Florianópolis no dia do aniversário de 97 anos do time do Estreito.

– Temos um time que joga, propõe o jogo, gosta de jogar. Tenho recebido ligações de amigos que falam que gostam de ver o Figueirense jogar, pela qualidade, propor o jogo. Hoje o gramado não ajudou. Choveu muito. Falei para eles que tínhamos que ganhar de um jeito ou de outro. Por tudo que envolve o jogo, aniversário, com o Zé expulso, o time correu por ele – disse Milton Cruz.

Ele destacou a volta da força caseira da equipe, que vinha de duas partidas seguidas em casa sem vencer.

– Temos que pontuar em casa e não sair fora pra recuperar o que perdeu em casa. Não podemos perder ou empatar em casa e recuperar fora de casa. Falei para eles, não adianta só jogar. O Londrina veio aqui e o goleiro fez cera do começo ao fim e não aconteceu nada. Temos que ter a malandragem que requer a Série B. Estou feliz pelo presente para a torcida, essa vitória no aniversário de 97 anos.

 Com 20 pontos, o Figueira assumiu a vice-liderança da Série B. A equipe volta a campo no dia 23 de junho, contra o Coritiba, fora de casa.
Mudanças no time

Não gosto de ter que colocarmais um zagueiro. Mas o jogo estava pedindo isso. No primeiro tempo, com a saída do Ze Antonio, coloquei o Pereira para ter uma consistência boa na bola aérea. Coloquei o André que a bola para mais, tem mais impulsão. Mudança em cima disso, não pelos atletas estarem mal. Se não tivesse a expulsão, voltaria com a mesma equipe. O Eduardo, faltando 10 minutos, coloquei para fazer uma linha de cinco e segurar o resultado.

Expulsão
Conversei com ele, com o árbitro também. Realmente, ele mesmo admitiu que pareceu mais violento, mas por sair deslizando. Ele tocou na bola, e depois o cara deixou o pé. Malandragem. O Zé joga firme, mas não é desleal. Foi mais pelo estado do gramado. Se está seco, não ia ser expulso. Ele deu carrinho, deslizou e encontrou o jogador. Foi mais pelo estado do gramado. Estamos com azar no aspecto do clima. Contra o Londrina foi assim também, temos um time técnico.

João Paulo de volante
Temos um plantel, confio em todos. Dependendo do que a gente estuda, joga um ou outro. Vimos o Sampaio que jogava todo atrás. Entramos com ousadia para esse jogo, esperava eles atrás. Aí optamos pelo 4-1-41, mas a expulsão fez com que mudasse tudo.

Globo Esporte