Muricy fica bravo em coletiva, mas satisfeito com “vantagem boa”

sao paulo

vitória por 4 a 2 sobre o Emelec deu aoSão Paulo vantagem interessante para o jogo de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana, na próxima semana, mas o resultado no Morumbi poderia ter sido melhor. A equipe brasileira abriu três gols de vantagem no primeiro tempo e passou aperto após o intervalo, fato que pode justificar a irritação de Muricy Ramalho em sua entrevista coletiva.

Depois de incomum demora para deixar o vestiário, o treinador chegou bravo à sala de imprensa do estádio, dando respostas invertidas e com tom de voz elevado. Não gostou principalmente de se ver questionado pela substituição do pendurado Maicon pelo zagueiro Antônio Carlos. Alteração que, segundo ele, foi um pedido do próprio meia, mas que alterou três posições (zaga, lateral direita e meio-campo) e prejudicou a equipe.

“Fizemos um primeiro tempo excelente, um dos melhores deste ano, com bom posicionamento, mexendo muito. Com a saída do Maicon, perdemos muito, porque ele tem a primeira bola, um passe importante, e nossas linhas ficaram muito afastadas. Tomamos um gol de cara no início do segundo tempo, em um erro nosso”, analisou, inicialmente.

“A saída do Maicon fez a diferença mesmo, porque ele é diferenciado na saída de bola. Mas tínhamos que fazer a mudança. Estávamos sem o Denilson (suspenso), que é o volante mesmo. E o Hudson (que atuava improvisado na lateral direita no primeiro tempo) voltou a ser volante. Mas tomamos um gol em um erro muito sério, aí mudou o jogo. Só que a gente ainda se recuperou e fez mais um gol”, acrescentou.

Apesar do susto, o treinador classificou o resultado como “uma vantagem boa” para obter a classificação à semifinal da Copa Sul-Americana. Ao ser questionado se havia ficado mais satisfeito pelo primeiro tempo ou mais insatisfeito pela queda de rendimento, fechou a cara e encurtou a resposta: “Saio satisfeito”.

Pelo placar desta quinta-feira, o São Paulo poderá avançar de fase com qualquer empate ou derrota pela diferença mínima. Se for derrotado por dois gols de diferença, terá também que vazar o adversário ao menos duas vezes para não ser eliminado. O duelo de volta está marcado para a quarta-feira que vem, em Guaiaquil.

Torcida pede Auro, mas Muricy se justifica: “Tomamos 11 gols”

O pedido da torcida do São Paulo pela entrada de Auro não sensibilizou Muricy Ramalho. O treinador até colocou o garoto em campo no lugar de Paulo Miranda, aos 45 minutos do segundo tempo, mas disse ao final da vitória por 4 a 2 sobre o Emelec que as improvisações no setor dão mais garantida defensiva à equipe.

A frase não foi tão sutil assim, na verdade. “Sou treinador de futebol. Quando vou fazer alguma coisa, eu faço os números. Não sei se você (jornalista) faz, mas eu faço. Nos jogos contra Coritiba, Corinthians, Flamengo e Fluminense, tomamos 11 gols. Depois que eu mudei, tomamos um gol. Não faço de brincadeirinha. Aqui, a gente não faz por gosto, não tem preferência de nada”, irritou-se, ao ser questionado sobre o assunto.

De fato, os números batem. Nas quatro rodadas do Campeonato Brasileiro citadas pelo técnico, o São Paulo somou apenas um ponto. Além do empate por 2 a 2 com o Flamengo, foram três derrotas (3 a 1 para o Coritiba, 3 a 2 para o Corinthians e 3 a 1 para o Fluminense). De lá para cá, foram somente dois gols sofridos em sete partidas (na derrota por 1 a 0 para o Atlético-MG e na vitória por 2 a 1 sobre o Bahia).

Formado nas divisões de base do clube, o lateral de 18 anos ganhou oportunidade no time titular assim que Douglas foi vendido ao Barcelona e Paulo Miranda (zagueiro que é improvisado no setor) se machucou. Após boas exibições, porém, passou a chamar atenção pela dificuldade de marcação que ele próprio admitiu e, desde então, não recuperou seu espaço.

Nesta quinta-feira, depois de abrir três gols de vantagem, o São Paulo passou aperto na etapa final ao sofrer dois do Emelec. Em determinado momento, depois de não aprovar um lance de Paulo Miranda – que jogou de lateral no segundo tempo, quando o volante Hudson deixou o setor para jogar em sua posição de origem -, parte da torcida começou a pedir Auro. Imediatamente, o goleiro Rogério Ceni se virou para a arquibancada e fez gesto para que parassem.

O ídolo foi atendido, e Muricy Ramalho também não deu ouvidos. Só colocou Auro em campo aos 45 minutos, em substituição realizada com o único intuito de ganhar tempo para confirmar o triunfo por 4 a 2, a qual encaminhou a classificação do São Paulo para a semifinal da Copa Sul-americana. A vaga será decidida na quarta-feira que vem, em Guaiaquil.

 

IG

Deixe seu comentário