Nas penalidades, Chapecoense elimina o Atlético-MG e avança na Copa do Brasil

A partida em Chapecó não foi um primor na parte técnica e tática, mas com disposição de sobra para Chapecoense e Atlético-MG. Quem vencesse classificaria no tempo normal, mas os dois times demoraram a buscar o gol. As melhores chances foram criadas na segunda etapa, quando os goleiros apareceram e evitaram os gols, levando a decisão para as penalidades. Ricardo Oliveira começou errando para o Galo, e Róger Guedes também errou a sua cobrança. Do lado da Chape, apenas Bruno Pacheco errou, e Thyere colocou o time catarinense nas quartas de final.

Assim como nos 90 minutos disputados em Belo Horizonte, o Atlético-MG teve maior controle do jogo, mas não conseguiu criar chances. Mesmo jogando em casa, a Chapecoense preocupou mais em marcar e só levou perigo nas bolas áreas. E foi em uma delas que quase abriu o placar, com Wellington Paulista, que parou em grande defesa de Victor, já nos acréscimos.

Precisando de um gol para classificar, os dois times aumentaram o nível ofensivo e deram trabalho para os goleiros. As mexidas dos dois treinadores melhoraram os times. Jandrei parou o ataque do Galo em chutes de Cazares, enquanto Victor defendeu as boas chances criadas por Canteros. No fim, Fábio Santos ainda foi expulso, deixando o Galo sem o seu principal batedor para a disputa de pênaltis.

Nas cobranças da marca da cal, Jandrei começou defendendo o chute de Ricardo Oliveira. Com a mira calibrada, a Chapecoense só perdeu a quarta cobrança, quando o placar estava 3 a 2, mas Bruno Pacheco também perdeu. Na última penalidade, Rafael Thyere fez 4 a 3 e classificou a Chape.

Eliminado após quatro fases, o Atlético-MG deu adeus a disputa. Já a Chapecoense espera sorteio para saber quem vai enfrentar nas quartas de final da competição, que será disputada após a pausa da Copa do Mundo.

Globo Esporte