Sob sol forte, Grêmio não sai do zero contra Coxa, mas se mantém no G4

gremio-luan-480-divulgacao

Reeditando o confronto acontecido na última quinta, pela Copa do Brasil, Grêmio e Coritiba se reencontraram neste domingo (30 de agosto) pela manhã, na Arena Grêmio, em Porto Alegre. No segundo jogo seguido às 11 horas (de Brasília), após ter encarado a Ponte sob o sol de Campinas (SP), o time de Roger Carvalho acusou o desgaste físico e pecou nos erros para amargar um empate sem gols dentro de casa, que, mesmo assim, manteve o time no G4.

O tropeço, pode-se dizer, veio em ‘boa hora’. O Grêmio ainda tem certa gordura para queimar no Brasileirão e, mesmo com o empate, segue com a terceira posição garantida, sem poder ser alcançado nesta rodada. Apesar da segurança na tabela, o time se mostrou instável na linha de frente, desperdiçando muitas chances de gol mesmo ocupando o ataque durante a maior parte do tempo.

Na próxima rodada, quinta-feira, o Grêmio tenta manter a vaga entre os quatro primeiros ao visitar o Figueirense, em Santa Catarina. Já o Coritiba, que com o ponto somado chegou aos 22, mesma pontuação de Goiás e Cruzeiro, primeiras equipes fora da degola, recebe o Sport, quarta-feira, no Couto Pereira.

O jogo – O primeiro tempo na Arena Grêmio foi truncado. Talvez pelas equipes serem manjadas uma pela outra. Apenas três dias depois de se enfrentarem pela Copa do Brasil, Grêmio e Coritiba se reencontraram em Porto Alegre, agora pelo Campeonato Brasileiro. Como na quinta, o Tricolor tomou o controle da partida de início, mas não foi eficaz.

Apesar de passar a maior parte do tempo no campo de ataque, as melhores chegadas do Grêmio foram a partir da bola parada. Na primeira vez, Galhardo cruzou e Geromel desviou de cabeça, mas a bola foi à esquerda. Na segunda chance, Douglas centrou e, após a bola rebater na zaga, Luan tentou concluir, mas a bola explodiu no peito do zagueiro e não ultrapassou a linha do gol.

Um dos destaques do time de Roger Carvalho até então, sendo selecionado para compor o grupo da Seleção olímpica, o garoto Luan teve outra chance de marcar já na reta final da primeira etapa. Em novo cruzamento na área, dessa vez rasteiro, o camisa 7 chegou atrasado e não conseguiu desviar para o gol, enlouquecendo os pouco mais de 45 mil presentes na Arena na manhã deste domingo.

O Coritiba foi valente para não sucumbir à pressão dos mandantes. Mesmo com diversas oportunidades de gol, o Grêmio não foi eficaz e, no segundo jogo seguido às 11 horas (de Brasília), parece ter sentido o clima quente e o peso da maratona de jogos. Até a volta do intervalo, quando as equipes voltaram descansadas, o jogo se desenvolveu em ritmo morno apesar da pausa na parada técnica.

Na volta dos vestiários, logo aos cinco minutos, Luan e Fernandinho tabelaram com rapidez e, na hora de o camisa 7 concluir a gol, foi travado pela defesa do Coxa. Sete minutos mais tarde, depois de muitas tentativas com o pé, Luan se antecipou à marcação e cabeceou o escanteio cobrado por Galhardo, mas a bola tocou na rede pelo lado de fora.

Aos 27, Luan voltou a receber passe de Douglas em condição legal, mas não conseguiu dominar para invadir a área e concluir. Depois de tantas chances desperdiçadas pelo Grêmio, o Coritiba passou a se soltar mais em campo. Com as entradas de Evandro e Thiago Galhardo, o time ganhou em mobilidade e passou a ocupar mais espaços no ataque. Antes da parada técnica, Walisson Maia subiu livre de cabeça na área, mas errou o alvo e apenas assustou Grohe.

O goleiro gremista merece um capítulo a parte. Ainda sofrendo com uma gripe, que quase o tirou de campo na última rodada, contra a Ponte, Grohe sofreu com o sol na Arena Grêmio. Durante o segundo tempo, após a baixa de pressão, o goleiro caiu ao lado da trave e precisou de atendimento. Durante a parada técnica, inclusive, foi um dos que recebeu mais atenção do departamento médico tricolor.

Aos 35, um lance inflamou os ânimos da torcida e dos próprios jogadores gremistas. Giuliano trocou passes na entrada da área e recebeu de volta, mas na hora que sentiu a chegada do zagueiro foi ao chão pedindo pênalti. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira mandou o jogo seguir, o que causou protestos do time mandante. Nos minutos finais, o Grêmio tentou pressionar em busca do gol da vitória, mas seguia falhando ao tentar o último e conclusivo passe.

Já nos acréscimos, o experiente Lúcio Flávio por pouco não garantiu os três pontos na bagagem para o Coritiba. Aproveitando os sete minutos adicionais dados pela arbitragem, que computou o tempo de parada técnica, o Coxa foi ao ataque e, após sobra na entrada da área, Lúcio Flávio chutou forte, mas a bola passou raspando a trave de Grohe e assustou os 46 mil presentes na Arena.

Fox sports

Deixe seu comentário